Site Meter

14.6.11

EXCESSO



O azul impossível acontece e nele se recortam o prato branco e os fios que um dia trouxeram as vozes e as luzes do céu à casa. Por instantes, o gato entra no quadro e justifica a velhice do muro, a falência dos fios, do prato. Está vivo e nervoso, o gato. O excesso de azul pode apagá-lo.


Licínia Quitério

2 comentários:

Benó disse...

Tadinho do bichano.Está vivo e espantado. Com o azul do céu ou com o intruso que o captou, talvez, na caça que ele se propunha efetuar. Quem sabe?
Está um belo instantâneo, Licinia.

M. disse...

Se todos os excessos fossem o azul do céu estaríamos todos ricos sem que daí viesse mal ao mundo. quem dera!

Também aqui

Follow liciniaq on Twitter
 
Site Meter

Web Site Statistics
Discount Coupon Code